segunda-feira, 14 de abril de 2008

A sensibilidade ao estado do tempo

De uma forma ou de outra somos influenciados pelo tempo
Muitas das nossas indisposições, como por exemplo dores de cabeça cansaço nervosismo, perturbações circulatórias, são frequentemente atribuídas ao tempo.
Quanto mais agrestes forem as condições atmosféricas, tanto mais atenção lhes é dedicado: As tempestades, quedada de granizo, as secas prolongadas, as vagas de calor excessivo ou frio intenso.
Diz-se que certas pessoas começam por se queixar de pontadas e outras sensações dolorosas, um ou mais dias antes da chegada do mau tempo, vindo a tornar-se realidade em alguns casos. É hábito comentarem entre si:-“dói-me o joelho direito…Amanhã chove,” Vamos ter tempo frio, já me está a doer um dente”, Tenho uma pontada nas costas, vem lá a trovoada”.
A ciência através da biometereologia, tem-se debruçado sobre este tema, mas até agora não encontrou uma explicação satisfatória para a influência biológica do estado do tempo, porque cada indivíduo tem seu próprio padrão de reacções que se modifica em muitos casos ao longo do tempo de vida. Também os factores profissionais e familiares podem prejudicar mais a nossa saúde do que o tempo.
As pessoas mais saudáveis com a chegada das massas de ar frio, sentem um efeito revigorante e estimulante.
O aumento do número de indivíduos sensíveis ao estado do tempo, em todos os grupos etários tem necessariamente as suas causas. O nosso modo de vida pouco saudável é o grande responsável por este facto, nomeadamente o nosso comodismo e a falta de exercício físico.
Um organismo que não se exponha regularmente aos estímulos naturais do calor e do frio, não se adaptarão tão bem às influências climáticas, enquanto que quem trabalha diariamente ao ar livre preserva a sua resistência natural e apenas reagirá às variações extremas do tempo.
A má qualidade do ar, cujo indivíduo isolado pouco ou nada pode fazer para o minorar, contribui para as nossas indisposições porque somos obrigados a respirá-lo, contenha ele poços ou muitos elementos nocivos.
Até hoje ainda não se esclareceu completamente quais as forças meteorológicas que influenciam de facto a nossa saúde. Existe uma relação confirmada, por exemplo, entre a poluição atmosférica e as doenças das vias respiratórias e entre o calor sufocante e as perturbações circulatórias.
Os conhecimentos adquiridos sobre a sensibilidade ao estado do tempo têm um denominador comum. Em última análise as causas mergulham na civilização moderna. O processo caso não seja orientado por caminhos racionais e criteriosamente pensados torna-se um grande fardo para a nossa saúde.

Cabe-nos agora fazer algo para nos precavermos dos seus efeitos perniciosos

10 comentários:

São disse...

Na linha deste interessante texto, refiro , por exemplo, um facto que pude constatar durante os três anos seguidos que vistei a ARCO em Madrid.
Todas as praçs, pracinhas e pracetas estavam literalmente cheias de jovens conversando, comendo e bebendo, apesar das baixíssimas temperaturas de Fevereiro .
Aqui, mete-se tudo no ambiente pesado das discotecas!!!
Enfim...
Feliz semana.

Tiago R. Cardoso disse...

Interessante mudança de tom em relação ao que temos vindo a ler por aqui, gostei.

Existe de facto essa crença que certas dores no corpo são relacionadas com o tempo, acredito que a temperatura, humidade, etc, possam causar certos efeitos no corpo e dar uma indicação.

Mas não credito nessa de prever o tempo a partir de certas dores.

multiolhares disse...

Se na verdade somos feito de pó das estrelas, estamos em harmonia com o universo, sentirmos o que ele sente talvez não esteja longe do real
beijinhos

luar perdido disse...

É verdade. Parece que há pessoas que têm um barómetro com elas. Mas o facto é que, em muitos casos, as coisas até batem certo. Lembro-me perfeitamente da minha avó, que sempre que acordava com o braço direito inchado dizia, "vem aí chuva",e ...Era mesmo. Penso que o tempo nos influencia porque estamos ligados à natureza e acabamos por ser "tocados" por ela, tanto no bom como no mau sentido.

Boa semana, beijinho grande

Carla disse...

és uma caixinha de surpresas...um belo texto cheio de informações para assimilarmos
bjs

Lynce disse...

Jora, podes tratar por tu, afinal 47 anitos já cá cantam :))
Esebb?? A minha mulher para além de andar a tirar uma licenciatura na Escola Superior de Educação foi secretária da Presidente da Bissaya Barreto, até à um ano. Actualmente, como deves saber, as duas escolas de enfermagem fundiram-se, dando lugar a uma só Escola.
Um Abraço

Sophiamar disse...

Não li o post, Jo. Venho só desejar-te uma boa noite e deixar-te beijinhos.

Amanhã cá estarei. Dorme bem!

Filoxera disse...

Sei é que há momentos em que o cinzento do dia nos entra na alma...
Beijos.

Auréola Branca disse...

Digo que sinto dor de cabeça ao preanúncio de raios e tempestades.

Interessante texto.

daniel disse...

Olá ORA JA TONE

Desconfio de muitos sintomas patolológicos provocados pelo prenúncio de mudanças climatérias.
Um dia um médico disse-me: De futuro o seu organismo a estar um pouco à mercê de mudanças de tempo. Temporáriamente, de facto aconteceu, mas passou, por curiosidade deixo link do porque e porquê:
http://sol.sapo.pt/blogs/mitalaia/archive/2007/06/21/JORNAL-DA-AMADORA_2D00_AVC_2D
Saudações
Daniel