sexta-feira, 25 de julho de 2008

Que as há… há! Eu é que não acredito!

Quem sabe onde fica a melhor bruxa? Basta perguntar a qualquer taxista e este aconselha logo a que fica mais longe.
E será que as bruxas conseguem saber o que vai em casa e na vida de cada um? Claro que sabem!
Quando uma pessoa pensa numa dessas idas, fala ao taxista fora do seu concelho para que na sua terra não o saibam, e põem-se a caminho.
Como a viagem é longa há tempo para conversar de tudo um pouco. Geralmente, e com a artimanha do taxista, começam por falar do porquinho da ida à bruxa. A senhora desbobina praticamente tudo e a determinada altura o condutor desculpa-se que vai com um pouco de sono e pára para tomar um café. Entra no estabelecimento, faz um telefonema para a bruxa, e conta-lhe tudo o que a senhora lhe disse: Tem problemas com o marido... a filha acabou o namoro... a burra adoeceu... Tem muitas ou poucas condições de pagar...
Claro que na consulta, a bruxa adivinha tudo o que se passa e também se a pessoa tem pouco ou muito dinheiro para pagar, basta a forma do aperto de mão do taxista à bruxa e as vezes que as mãos baixam e sobem ao cumprimentarem-se.
Pede então que dêem ao taxista umas peças interiores das pessoas em causa ou um pouco do excremento do animal doente, que numa próxima viagem este lhe entregará, para fazer o desterro. A cliente aqui paga serviços que podem nem ser feitos.
E quando o são, são normalmente de noite para locais ermos, junto a capelas ou junto ao mar em locais assustadores (que até parecem um inferno), mas aí a cliente vai junto.
Contaram-me que uma bruxa, de muita nomeada, foi chamada a determinada casa. Esta quando chegou foi recebida por um rapazito que lhe abriu a porta. O cumprimento que este teve foi um forte chapadão que o fez ficar com a cara a arder. Muito admirado ficou a olhar para ela. O inimigo entrou mesmo naquele lar!

Um bom taxista seria aquele que fosse capaz de mandar estas pessoas irem a pé mas a Fátima!

10 comentários:

daniel disse...

Jo Ra Tone

Nunca acreditei em bruxas. Li e como não tinha pensado na "negociata", fqui ciente que te fico a dever uma.
Daniel

São disse...

Infelizmente, estes´são casos verídicos.
Pobres pessoas cujo sofrimento as leva desde cair nestas patranhas a arrastarem-se no chão de Fátima...
Feliz fim de semana.

Multiolhares disse...

Existem muitas pessoas em busca de felicidade,
De alguém que lhes cuide da vida, e são enganados,
Cada um de nós tem de pegar nas rédeas da vida, depois são as nossas escolhas
Que nos vão dando felicidade ou dor
beijos

Paradoxos disse...

e a vida prosseguem assim... aos poucos....

Edu

Tiago R Cardoso disse...

para alem de não acreditar em bruxas, esta do negocio com o taxista está bem observado.

Carla disse...

pois ...dizem que as há! a mim não me convencem, mas que há por aí umas tantas à solta...lá isso há!
beijos...gostei de te ler...como sempre

São disse...

Tudo de bom

Mara disse...

Jo
Como dizem os nossos vizinhos espanhois "eu não acredito em bruxas mas que as há, há" e infelizmente tudo serve para fazer negócio até as desgraças alheias.
Bom fim de semana.

Sophiamar disse...

Fizeste-me recuar no tempo, umas boas décadas. Era à lareira que ouvia estas "histórias" contadas pelos meus avós.Em casa ninguém acreditava nos seus poderes para curar maleitas, trazer de volta marido roubado, cordão de ouro desaparecido, doença do macho ou outra qualquer. Muitas mentes fracas deixam lá todo o dinheirinho e só melhoram quando já não há gota dele na algibeira.

Infelizmente, é ainda uma realidade.

Beijinhos

Bom domingo!

Carla disse...

de férias? Ou com preguiça de Verão?
beijos