quinta-feira, 22 de maio de 2008

Almártega




Desde muito cedo, pensei fazer algo artístico para deixar aos meus descendentes, às gerações vindouras. Não é que me considere um homem das artes, mas pretendi medir, assim, as minhas capacidades técnicas ao nível da pintura e da escrita, e logo comecei a experiência quando achei o tempo propício para o fazer.

Nas várias e demoradas deslocações, escolhia um local recôndito, ou por vezes dentro do carro, e pegando no material de pintura, ia dando umas pinceladas e, pouco a pouco, fui fazendo uma pequena colecção.

A pintura que destaco, é para mim uma obra de grande valor estimativo, porque é a aldeia onde viveram os meus bisavós, em pleno século XIX. Almártega é o seu nome.

Situada no sopé da Serra do Sicó, metida no seio de denso arvoredo, atravessada por um ribeiro de água límpida, é um local deveras sossegado onde se pode admirar a fauna e a natureza no seu estado selvagem. Outrora uma povoação cheia de história e tradições, encontra-se hoje desabitada e em elevado estado de degradação, onde restam apenas alguns muros, e muitos silvados.

Passados que foram trinta anos, é difícil fazer uma pintura idêntica, porque a paisagem neste momento está muito diferente, o que me levou naquele tempo a pintá-la para a recordar e perpetuar, ao longo dos tempos.
(...)
Para executar esta pintura tive de me deslocar ao local durante vários dias, munido de um cavalete. Durante horas sem conta fui pintando este quadro, aproveitando ao mesmo tempo para passar parte das minhas férias nesse Verão.

A todos aqueles que respeitam o ambiente, é recomendável a visita a este local único, selvagem, onde poderá desfrutar e admirar a sua paisagem natural, a sua fauna, e respirar o ar mais puro na sua essência. Poderá ver a sua imagem reflectida nas águas cristalinas do riacho, e também, com um pouco de sorte, poderá ver um ou mais pampos, animais que estão em vias de extinção.

Dado o valor estimativo desta obra, tinha de a publicar para que todos a possam apreciar. Se quiserem chegar até Almártega, um dos, ainda, paraísos deste país... só a pé ou em charrete.

27 comentários:

Tiago R Cardoso disse...

e os quadros, tudo sentimental para guardar ou também se arranja por ai um ?

Um Certo Olhar disse...

por amor onde é que não se chega?
é logo ali onde bate o coração.

beijo

com senso disse...

É a minha primeira visita ao blog e deparo com um quadro magnifico e com uma descrição perfeita - pictórica mesmo - de um local bucólico e raro.
Parabéns pelo talento e obrigado por partilhar connosco a sua arte e a sua sensibilidade.
Um abraço

jo ra tone disse...

Tiago,
É tudo sentimental
Faço mais, quando a "veia artística" voltar despertar .
Nota que, tive que sobrepor a pintura, por uma questão de espaço.


Um Certo Olhar,
Claro, quem anda por amor não cansa.
Almártega, fica mesmo perto de cada um.

Com Senso,
Aí está o valor real da arte!
A sua raridade.

Bloga Comigo disse...

Aceito a sugestão.Almártega estará diferente mas bonita. O teu quadro relembra o que foi, um dia, este país.

Sugiro-te uma leitura. Queres?

Beijo

Carla disse...

só te digo que fiquei encantada com as imagens...e com vontade de descobrir esse belo espaço
parabéns por essa "veia"
beijos

Lynce disse...

Jo, não conhecia esta tua faceta, garantidamente não foi no Liceu Dª Maria que refinas-te esta arte da pintura. Parabéns!! está espectacular, sugeria que postasses mais aqui a tua obra, tenho a certeza que não é o teu único trabalho.

Um Abraço :)))

Sophiamar disse...

Jo Ra Tone

Um post perpassado de amor, de gratidão, de respeito pelo ambiente. Gostei tanto das tuas palavras e do que pelo que nelas li para além do que está escrito. O amor à terra dos seus antepassados, à terra onde se viu a luz do dia, ao ambiente tão maltratado pelo homem é comovente.
Espero ver outros quadros teus porque quem pintou este pintou alguns mais. Com certeza.

Bjinhos Jo

jo ra tone disse...

Bloga Comigo,
Ainda se encontram locais como este no nosso país.
Se nao houver... Inventam-se!
Venha de lá essa leitura!


Obrigado Carla,
Vai tentando.
Que não te falte essa vontade da descoberta.


Lynce,
Como vês sou um (multifacetado).
Claro que não foi no D. Maria.
Havia na altura duas opções: engenheiro ou médico...


Sophia,
Como cidadãos exemplares, que somos, devemos deixar o ambiente melhor do que aquele que nós encontrámos.
Ok. vais ver sim outras obras.
Vou colocando consoante o tema ;)

nile santos disse...

Olá amigo.Adorei o quadro,uma ótima lembrança dos tempos passados.Conte mais algumas coisinhas da cidade,população e costumes.Um bom fim de semana para voce.bjtos.nile.

LUA DE LOBOS disse...

gostei muito destas obras,,, pq não scanas mais umas quantas e não as mostras por aqui?
obrigada pelas tuas inumeras visitas que eu vou apreciando mas que muitas vezes não retribuo porque a disposição não é das melhores.
xi
maria de são pedro

LUA DE LOBOS disse...

os pampos são peixes?

Maria Clarinda disse...

Obrigada pela partilha, obrigada pelas palavras que me deram a conhecer este lugar único como tu mm o dizes.
Jinhos

jo ra tone disse...

Nile Santos,
Obrigado pela visita
Para saber mais sobre esta aldeia, siga p/f:
etiquetas (digo eu)- Caça ao Tesouro
Se encontrar o tesouro, não esqueça de repartir! Ok?
Beijinho
Bom fim de semana


Maria de S. Pedro
Como a colecção é pequena, vou mostrando de tempos a tempos.
Desejo que esteja tudo bem contigo.
:) Bjo

Maria Clarinda,
Obrigado também por vir até aqui.
É um lugar único.
Ai é é!!
Um beijinho tb

Multiolhares disse...

Existem lugares que devem ser perpetuados, não só por palavras
Mas pelas imagens , que estão lindas
Bj

Fa menor disse...

Ai que saudades dos pampos...
Lembras-te do Paulito com o saco aberto na serra do Sicó? ahahahah
Inesquecível!!!

Beijo

Partilhas disse...

gostei, mas gostava de ver mais, pois sou um amnte da pintura. É possivel?

jo ra tone disse...

É verdade Multiolhares
Obrigado

Fa
Ainda me lembro, só que não tivemos sorte,...
Era Verão e o ribeiro estava seco.

partilhas,
Clique em etiqueta"meus óleos".
Obrigado por ter chegado ao Cabo das Tormentas.

luar perdido disse...

João! Cada vez mais Parabens!
Desconhecia-te a veia, mas acho que deves mesmo postar mais trabalhos teus, este está belíssimo! Transpira amor por todos os poros e suscita o desejo de conhecer, como adoro andar a pé, pode ser que nas minhas férias siga o teu desafio e vá até Almártega, que deve ser um dos paraísos escondidos que ainda vamos conservando no país.
espero ver em breve o traço de nãos dadas com as palavras...

Beijinho imenso e boa semana.

malu disse...

Olá,

Hoje vim dar aqui por portas e travessas... ok, tb pela tal da curiosidade, essa danada que pega no meu pé, e dou logo com pintura! É claro que não resisti a comentar porque é muito, muito bonita!

Parabéns e um abraço.

Mara disse...

Jo
Lindas estas paisagens do nosso Portugal desconhecido e esquecido, parabéns pelo excelente trabalho.
Bjs

amigona avó e a neta princesa disse...

Pois nunca se sabe...abraço...

jo ra tone disse...

Luar Perdido,
Sou um caixote de surpresas!
Um conselho: Vem quanto antes a Almártega, pois a mão do homem pode fazer das suas (estragos).
Como gostas de andar a pé, tens uns lindos quilómetros a andar.
Podes vir numa altura em que penses fazer uma peregrinação a Fátima.
Já estou levantando a ponta do véu.
Beijinho


Malu,
Esta casa tem as portas sempre abertas
Obrigado pela visita e por gostar da pintura.
Também é da que gosto mais, porque tive muita paciência para a fazer
Um abracinho também

Mara,
Esta é mesmo dum Portugal desconhecido.
Um lugar que muita gente gostaria de ter só para si.
Mas até lá vamos vivendo as nossas fantasias.
Beijinho

Amigona Avó e a Neta Princesa,
Quem sabe se um dia...
não passa por aqui?
Abraço

Sophiamar disse...

Jo ra Tone

Passei para reler e reencontrar este paraíso que tanta falta me faz. A amizade, a gratidão, o carinho moram por aqui.

Beijinhos

Jade Luz disse...

Pois...
És mesmo um caixote de surpresas, eu já sabia.
Estás cada dia mais confiante.
ADOREI, a pintura, o tema e mais....
Brevemente também quero visitar esse lugar e fazer um piquenique com a familia.

UM BEIJÃO Jo

Auréola Branca disse...

Parabenizo-te! És tão bom com escrita, quanto com palavras...
Adoro quadros que relatam lugares, paisagens... São os mais sentimentais, para mim.

Muito bom mesmo!

jo ra tone disse...

Sophia,
Quem visita Almártega, não passa sem lá voltar.
Obrigado
Um beijinho


Jade Luz,
Hummm, Quem te disse que eu sou eu?
Piquenique? Tu disseste piquenique?
Então vamos nessa.
Olha não leves leitão, porque eu não gosto!

Dois Beijinhos


Auréola Branca,
Cada quadro tem a sua história,
Vai passando
Beijinho