quarta-feira, 28 de maio de 2008

Banhos da Amieira



Situadas com vista esplêndida para os arrozais, atravessadas pela Linha do Oeste, estas termas foram as mais antigas da região, onde chegou a haver um posto de engarrafamento de águas que eram distribuídas para vários pontos do país.

Há poucos anos um violento incêndio que começara a quilómetros de distância, vindo em sua direcção, não poupou as suas velhas instalações e o seu lindo espaço verde. Não deixou vestígios da sua densa mata de seculares plátanos e mirtáceas, e uma grande variedade de arbustos.

A camada de húmus onde os patos bravos faziam os seus ninhos e que as pessoas extraíam para os seus vasos, desapareceu.

Foi um local propício para piqueniques, onde levei várias vezes a família, munido da manta e do farnel, porque sabia que os pequenos faziam uma festa quando viam passar o comboio, ou a auto-motora.

Hoje a água tépida continua a brotar das bicas das fonte, e algumas pessoas vão buscar alívio para as suas peles doentes, artrites ou outro tipo de doença. Nos dias de verão, em que a água escasseia nas torneiras, tractores e pequenas camionetas transportam tanques de água para consumo ou para as regas.

Também na época balnear, os banhistas após a permanência nas praias vizinhas não deixam de passar e tomar um banho de balde ou de regador para tirar o salgadiço, para assim manterem a sua pele sempre saudável.

Esperamos que os responsáveis façam deste espaço um local de lazer que todos gostaríamos de ver no futuro.

12 comentários:

Jade Luz disse...

Jo
Sem dúvida nenhuma, a água é muito boa para a pele.
Dúvido é que os responsáveis façam alguma coisa por este local. Só se forem estrangeiros, mas parece que já alguém interessado.
Apenas no resta esperar e agora aproveitar o que a NATUREZA nos dá, e como este local há outros.
Divulgar estes locais seria bom.

Beijos

Auréola Branca disse...

Aconselho-te a mover-se para que este lugar permaneça. Junte pessoas, mobilize a população.
Cada dia aprendo mais que devemos seguir o que acreditamos, e não deixar na mão do governo, dos outros.

Encantei-me profundamente com a beleza descrita. E estou contigo nessa luta.

malu disse...

Enfim, um paraíso abandonado, valha-nos o quadro que é lindo e a descrição outra maravilha. Se houver movimento para recuperar esse espaço, tou nessa!

abraço.

Villager disse...

Muito bonito este oleo, assim como o texto que o acompanha.

Carla disse...

obrigada por mais uma viagem a um espaço encantado
beijos amigo

Sophiamar disse...

Um alerta, amigo, para que os autarcas metam mãos a este espaço destruído mas que, até há bem pouco tempo, foi paradisíaco. Boas águas, bons ares, boa sombra, boa paisagem...
Espero que não caia em saco roto este teu apelo.
Mais uma pintura bem bonita.

Beijinhos

Tiago R Cardoso disse...

mais uma boa pintura, sim senhor excelente.

com senso disse...

Mais um belo lugar... Pelo menos a pintura é belíssima.
Não conhecia a sua existência, as vivências passadas e a sua situação actual.
Um documento muito interessante, ilustrado por um óleo magnifico!

Lynce disse...

Joe,
Mais um belissímo quadro. Sei que neste país ninguém sobrevive da pintura ou outra qualquer actividade artística, dizem as estatísticas que para se ser reconhecido temos que emigrar para qualquer um outro país, no entanto, penso que deves continuar a postar essas tuas verdadeiras obras primas, quanto mais não seja, fica para a posteridade.
Parabéns pela postagem:))

Multiolhares disse...

A natureza dá-nos tudo, mas o homem tira tudo
Bj

Mia disse...

Mais um local muito bonito deste pequeno jardim à beira-mar plantado e que o homem, voluntária ou involuntariamente, maltrata. Espero que o teu apelo chegue aos ouvidos dos responsáveis e que essa paisagem destruída pelo fogo venha a ter as cores de outrora. Sonhos? É bom que os tenhamos!
Um abraço

Filoxera disse...

Tomara que sim!