sábado, 7 de fevereiro de 2009

Boas leituras!

12 comentários:

Cata-Vento disse...

Lá se vai o tempo em que se lia à luz destes candeeiros. Em casa dos avós também os havia mas não herdei nenhum deles.

Beijinhos

Bem-hajas, João!

p.s. O menino João era muito bonito. Ainda o será? Eheheheh

Daniel Costa disse...

Jo Ra Tone

A sigeleza! A Biblia e o candelabro!

Abraço
Daniel

Manuela Viola disse...

uma bela mensagem! Bjo.

jo ra tone disse...

Amiga,
São tempos idos.
Não me lembro de ver este tipo de candeeiros acesos nas casas, mas sim as candeias , os a petróleo, e mais tarde os pitromaxis.
Perguntei ao Ti Joaquim para estes serviam, e ele me respondeu :
" para alumiar as Almas do Purgatório".
Quanto ao "menino"(O João Ratão para a mana)...
Digo-te:
- Todo o menino é lindo em qualquer idade
:) :)
Beijinho

************

Daniel Costa,
Mito singelo sim senhor!
Falta o poeta para dar um bom quadro.
Abraço


***********

Manuela,
Bela mensagem para estes dias frios e chuvosos,
para quem tiver um tempinho disponível.
Beijinho

jomarol disse...

quem è essa admiradora que tanto te aprecia? Cuidado.Um abraço

Multiolhares disse...

Todas as leituras que nos tocam, são boas leituras, é algo que muitos de nós estão a perder o gosto pela leitura
beijos

Filoxera disse...

Boa noite.
Um desafio está à tua espera no meu blogocanto.
Beijos.

Fa menor disse...

Gosto de leituras destas!

Bjinhoo

( Ó Jomarol... isto por aqui é uma comunidade de amigos...
beijo para ti)

Carla disse...

as tuas ideias são fabulosas...mas ainda assim prefiro a luz das lâmpadas
beijos

Manuela Viola disse...

Como gosto muito do teu blogue, que acompenho habitualmente, atribuí-te um prémio. Podes ver aqui http://manuelaviola.blogspot.com/
Bjo.

São disse...

Tenho um desses candeeiros...e deve saber qual a utilidade , não?
Durma bem.

Cata-Vento disse...

João

Estes candeeiros acendiam-se , geralmente, para iluminar os defuntos que , naquele tempo, ficavam em casa até à hora do funeral.Mas via-os acesos noutros momentos. Deviam ter a ver com as almas. Eram as candeias de cobre que iluminavam a casa.

Beijinhos