sexta-feira, 12 de fevereiro de 2010

A cheia ao campo





Avisto-te ao longe, mas…
Como te conseguir alcançar
Esperar o entardecer? Não!
Que a cheia vaza devagar...
Estou ansioso por namorar

Uma barca vou desamarrar
Bela adornada como o teu olhar
Percorrer o teu caminho
Abalizado por junca submersa
A cheia sempre baza devagar...

9 comentários:

São disse...

Valeu a pena esperar, mas que o próximo intervalo não seja tão longo, sim?

Um Carnaval com alegria.

Filoxera disse...

Belo...
Beijinhos.

xistosa - (josé torres) disse...

Que o namoro não adorne.
Belo poema e belíssimas imagens.

Fa menor disse...

Humm!
Ribeira vai cheia e a barca não anda...
fico mesmo por cá por esta banda.
Ora, pois,
que remédio! :)
E para.béns... o atraso foi da cheia.
lol

BeijoO

Multiolhares disse...

Só resta mesmo esperar, pois na ribeira não podemos mandar
beijinhos

luar perdido disse...

As cheias são sempre dificeis de vazar, mas chega o momento em que a barca se atreve e se afoita...Deixa-a chegar ao outro lado, vale sempre a pena tentar remar e remar e remar.

Beijinho grande

Cata- Vento disse...

Quem espera desespera mas pelo nosso amor vale sempre a pena esperar. Sem desesperar!

Beijinhos

Bem-hajas!

*** Cris *** disse...

Olá, td bem?
Por onde anadas?
Belas fotos, belo texto.

Fluxo disse...

muito bonito suas palavras