sexta-feira, 6 de março de 2009

História da Carochinha

Era uma vez uma Carochinha que andava a varrer a casa e ao encontrar uma moeda pôs-se toda impiriquitada, muito sorridente à janela, com um colar de belas pérolas, para arranjar um marido.
Apareceu um boi, um porco, um galo e um cão, mas, a Carochinha disse-lhes que esperava por melhor marido.
Apareceu o João Ratão todo bonito, mas muito lambareiro, porque gostava sempre de comer uns bons jantares.
-É contigo que eu quero casar - disse a Carochinha!..
Os dois foram à igreja e o pior veio depois.
No Domingo à tarde foram dar um passeio, mas a Carochinha esquecera-se do colar em casa e pediu ao seu noivo para o ir buscar. O João Ratão ao chegar a casa cheirou-lhe a chouriço cozido, e subindo para o caldeirão desequilibrou-se e caiu dentro dele.
A Carochinha, farta de esperar, foi a casa procurá-lo. Procurou toda a casa e foi encontrá-lo dentro do caldeirão.
A Carochinha, na rua pôs-se a chorar, e todos à sua volta lhe perguntavam o que tinha acontecido. Ela respondeu:
-Foi o meu João Ratão que morreu cozido e afogado no caldeirão.
O Rei que ia a passar disse:
- Que desgraça, mas que grande azar.
O rei meteu a espada no caldeirão e o João Ratão subiu por ela.
A sopa felizmente não estava quente, por isso o João Ratão não morreu.
Disse que estava boa a sopa, abraçou-se à noiva, houve baile na cozinha e a festa durou até às tantas.

6 comentários:

Fa menor disse...

Lol

Cata-Vento disse...

Eheheheheh!Bem-hajas! Desatei a rir às gargalhadas. Este João lambareiro não eras tu, pois não?

Beijinhos

Bem-hajas,João brincalhão!

Multiolhares disse...

Aí amigo acho que só nas histórias é que tudo acaba bem, será que é daí que vem a sopa da pedra? ehehehe
Bj

Daniel Costa disse...

Jo Ra Tone

A historieta do João Ratão, nestes tempos hodiernos, não fazia sentido, realmente, com arranjo, acabou por ficar boa. Imprimiste um desfecho engraçadíssimo.
Um abraço,
Daniel

jo ra tone disse...

Fa menor,
Ri-te..ri-te.
foi um dia inesquecível

Isabel,
Na verdade naquele dia exagerei um
pouco.

Luna,
Creio que sim
qualquer "rato" anda sempre com duas pedras no bolso.

Daniel,
Os adultos
também devem brincar

Cata-Vento disse...

Obrigada, João, pela história e pela tua eterna boa disposição. Bem-hajas!

Um homem à ilharga também me faz sentir muito bem. Eheheheheh!

Beijinhosssssss